Blog do Sarico

Vedete da pandemia


A grande vedete desta pandemia está sendo, sem dúvida alguma, o Hidroxicloroquina ou Cloroquina, que está na boca de todos no Brasil.

O intrigante é por que o pessoal da medicina e os cientistas se dividem quanto ao seu uso. Por que a divergência? Seria econômica? Ou política?

Ouvi um infectologista dizer que a droga pode ser ministrada nas fases iniciais do COVID-19 e que nas demais poderia haver complicações. Também, que a mesma somente é administrada por um médico e mediante assinatura de ciente do paciente ou de seu responsável.

Já ouvi dizer que a questão é política, com clara intenção de desestabilizar o governo. Tem muita coisa na rede embaralhando a população fazendo-a se posicionar de acordo com seu voto na última eleição presidencial.

Se médicos, cientistas e a própria OMS não se entendem com relação a Cloroquina, o que esperar de nós que só temos de nos preocupar em não pegar a doença e depois, no caso de ser infectado por ela, sermos curados.

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a utilização da Cloroquina em casa poderá resultar em óbito. E a ciência não garante a eficácia do seu uso.

Um funcionário de uma farmácia, que trabalha no setor há muitos anos, me disse que tomaria a Cloroquina e ainda daria para sua família, sem problema algum. Já um amigo me disse que tomaria o remédio de olhos fechados. Outro tomaria o medicamento se estivesse muito mal.

Se por ventura eu pegar Coronavírus, que quem me atender saiba como me curar e me dê o que achar melhor para isso.

E continuo me cuidando: máscara, gel, distanciamento e agasalhado.



Comentários

Comente


*