Blog do Sarico

Cartão de crédito


Dia desses comprei um determinado produto em uma empresa e pretendia pagá-lo no cartão, em três vezes, mas para meu espanto, o vendedor acrescentou um juro em cima, aumentando o valor das prestações. Fiquei meio assim na hora, mas precisando do mesmo, acabei levando-o.

Eu tinha em mente que, em operações envolvendo o cartão de crédito, o valor deveria ser dividido em tantas vezes conforme a vontade do cliente e sem nenhum tostão de acréscimo. Eu pensava. Nesta semana, conversando com um funcionário de um banco, este em explicou que, desde dezembro, as empresas podem acrescer a porcentagem que quiser sobre as operações de crédito pelo cartão. Mas, por que mudar uma regra que estava dando certo? Afinal, uma venda pelo cartão é tão certa quanto dinheiro vivo. E entre cartão e cheque… Mas, aí o bancário me explicou que, devido as taxas de administração que a operadora do cartão cobra das empresas estas acabam repassando ao cliente. Tudo estoura no bolso do consumidor, como sempre.

Mas, aí comecei a pensar. Por que eu comprei o produto? Deveria ter cancelado o negócio e adquiri-lo em outro lugar, afinal o dinheiro é meu e cabe tão somente a mim como quero gastá-lo.

Se for assim, as empresas poderiam colocar este acréscimo no preço do produto e não falar ao cliente sobre ele, para não o espantar. É legal, mas é mais uma tijolada na testa do consumidor, que só paga e perde. Que sina essa.

Resumindo a ópera. Que manda a gente não ter dinheiro para comprar as coisas à vista e fazer o preço final (desconto). E tem ainda a opção de procurar o preço mais barato. Dá um certo trabalho, mas nestes tempos…

Um terço quer sair do Brasil


O Instituto Paraná realizou a pesquisa “Se você pudesse escolher, continuaria a morar no Brasil ou se mudaria daqui?”. A empresa ouviu 2.468 brasileiros. Pois, destes 34,6% disseram que morariam no exterior, enquanto 62,8% não desistiriam do Brasil.

Imagine o desespero dos venezuelanos ao fugir da ditadura de Nicolás Maduro para um País do qual um terço da população quer fugir também.

E aqui no Brasil tem cabeças que apoiam o regime venezuelano que não consegue nem colocar papel higiênico nas gôndolas dos mercados. E não sei como aquela gente está comendo. Nem o que come.

Frase do Dia


“É mais fácil enganar as pessoas do que convencê-las de que elas foram enganadas”.

Mark Twain

O América correu


O time do América, pelas suas últimas apresentações, era uma flecha, que uma vez disparada era veloz e letal e causava medo nos adversários. E os resultados disso estão comprovados na tabela de pontuação. Mas, no sábado, o time do Giba jogou como arco, que apenas atira. Não conseguiu jogar. Fez um primeiro tempo mediano, opaco. Já na segunda metade, resolveu entrar na correria do Guarany e se perdeu na partida.

Esse América não sabe correr, entrar em disparada como em uma carreira. Esse América é técnico, toca bola com rapidez e é objetivo e eficiente tendo o melhor ataque da competição. Esta foi a proposta da equipe nos últimos jogos e deu certo. Mas, pelo visto esqueceram disso no sábado e o empate (3×3) veio com gosto de derrota. O Guarany saiu daqui comemorando, pois veio a Tapera com receio exatamente pelos últimos resultados das duas equipes.

Nos intervalos, por que o time combinava uma coisa com o Giba e na quadra fazia outra? Será que entraram em quadra de salto alto? O Guarany jogou para parar o América, a qualquer custo, e conseguiu. O goleiro Cristian, com constantes atendimentos, e as paralisações para secagem da quadra, congelaram o time taperense.

Agora, é mentalizar que a equipe tem uma proposta de jogo e que não deve fugir dela. Ou será ainda que o objetivo sábado era golear o Guarany? Para mim, vencer um jogo por 1 a 0, jogando na elite, é um grande feito. E essa lição o time do Giba deve ter aprendido.

Vamos voltar a jogar aquele futsal bonito dos últimos jogos, sem correria e marcando gols e pontos.

Uma última coisa. Por que quando o jogo é em Tapera as arbitragens se fazem impor? Mostram sua grandeza, sem receio algum? Será que é devido a segurança que o ginásio taperense oferece? E já teve gente que achou que o Poli não oferece segurança. Imagina…

Pai de todo jeito…


Tem pai que ama,
Tem pai que esquece do amor.
Tem pai que adota,
Tem pai que abandona,
Tem pai que não sabe que é pai,
Tem filho que não sabe do pai.
Tem pai…
Tem pai que dá amor.
Tem pai que dá presente,
Tem pai por amor,
Tem pai por acaso,
Tem pai que se preocupa com os problemas do filho,
Tem pai que não sabe dos problemas do filho…
Tem pai …
Tem pai que ensina,
Tem pai que não tem tempo,
Tem pai que sofre com o sofrimento do filho,
Tem pai que deixa o filho esquecido.
Tem pai de todo jeito
Tem pai que encaminha o filho,
Tem pai que o deixa no caminho,
Tem pai que assume,
Tem pai que rejeita,
Tem pai que acaricia,
Tem pai que não sabe onde está o filho que precisa de carinho.
Tem pai que afaga,
Tem pai que só pensa em negócios.
Tem…
Tem pai de todo jeito…
E você?
Que tipo de pai você é?
Eu quero um pai, apenas um pai que esteja consciente do amor
que tem para dividir…
Eu quero um pai, apenas um pai que seja AMIGO.

A todos os Pais, um carinhoso abraço. E que Deus Pai nos abençoe.

Desconheço o autor.

América


O América anda fazendo história no salonismo, esporte que é praticado em Tapera a mais de 40 anos. A equipe, que vem de seis vitórias consecutivas, e com goleadas, algo inédito por aqui, pelo que me lembro, está em 4º lugar na Liga Gaúcha. E, de lambuja, possui o melhor ataque da competição: 57 gols, em 14 jogos, média de mais de 4 gols por partida. Uma máquina de somar pontos. E de balançar a rede.

Acompanho o América desde sempre, depois do ocaso de Kings Club e Agrotap, e acho que este time é igual aos de 1996 e 2013, que levantaram a Série Prata. Mas, com um detalhe: estão jogando a Série Ouro, na elite do futsal gaúcho. E na frente da super ACBF. Que tal?

Uma coisa que me agrada neste time é a intensidade com que ele joga e a vibração dos guris. De vez em quando eles erram um passe, deixam de dar outro, ficam desatentos na marcação e perdem muitos gols feitos, mas ralam bonito. Os caras fizeram da camisa americana sua segunda pele. É como já falei: podem perder um jogo, mas o vendem caro. Gosto disso. Aliás, a torcida toda gosta.

E neste sábado tem jogão no Poli, contra o Guarany, no maior clássico de futsal da região, indiscutivelmente. E quem for até lá deverá levar apenas a sua torcida e esquecer o jogo da ida, quando o América perdeu numa partida bastante atípica, quando seus jogadores entraram na “pilha” de alguns integrantes do Guarany pagando caro por isso. Foram provocados, aceitaram a provocação infantilmente e se deram mal. Devem ter aprendido a lição.

Assim, sábado, apenas torcida no ginásio e vão jogar futsal como times grandes que são e quem se apresentar melhor nos 40 levará o prêmio. O América (4º) quer vencer para continuar subindo na tabela e o Guarany (6º) para não cair mais nela. Então, quem for ao Poli, vá para ver um jogão. E torcer muito.

Eu sou mais América pelo momento, mas do outro lado estará um time encardido e que sempre incomoda. Vamos ver o que o Giba e seus comandados apresentarão à torcida alvi-rubra neste sábado.

PSDB


O PSDB está anunciando que fará o mea culpa em programa político, em rede nacional, no próximo dia 17. Mas, o partido vai dizer o quê? O presidente licenciado Aécio Neves, enrolado até o pescoço em corrupção, disse que a saída do partido do governo Temer está superada e que não sairão. Mas, como vão se desculpar perante seu eleitorado neste programa desta forma?

Aliás, quero ver quem dos caciques tucanos mostrará sua cara no mesmo com esta avalanche de indignação contra a sigla. O Aécio Neves? Acredito que mostrarão três prefeitos tucanos que estão bem na foto, pelo menos por enquanto: João Doria (SP), Rui Palmeira (Maceió/AL) e Nelson Machezan (Porto Alegre/RS). E mais ninguém.

Aliás, que quero ver o que será do PSDB na eleição presidencial do ano que vem. Tem quem ache que será um fiasco sua votação.

Vamos ver. Eleição é como jogo: é preciso pagar para jogar.

A diferença entre milhão e bilhão


Perdido entre os bilhões de reais dos diversos déficits do governo?

Para ter uma ideia do que bilhão significa, o matemático americano John Allen Paulos dá um exemplo temporal: 1 milhão de segundos equivale a menos de 12 dias; 1 bilhão de segundos é quase 32 anos.

Entrou em pânico? É a única coisa a fazer nos próximos 32 anos, no mínimo.

Não sei por que, mas lembrei da Lava Jato.

Ainda a Expotapera


A 10ª Expotapera, que não se realizará este ano, foi pauta da última sessão da Câmara de Vereadores de Tapera, na segunda-feira (07).

O vereador Buxa Teodoro (PT), na tribuna, questionou a Administração Municipal que havia sinalizado repassar R$ 80 mil para a ACIT para realizar o evento e depois voltou atrás. Questionou-a que, ao invés de repassar os R$ 80 mil ou mesmo R$ 50 mil para a Associação, preferiu comprar um carro zero para o gabinete, de R$ 85 mil. Ao não realizar a Expotapera o prefeito estaria sendo mal aconselhado e mal assessorado, segundo o vereador.

Também na tribuna, o presidente Neri dos Santos (PP) disse que a ACIT e seus associados não mostraram muito empenho para realizar a Expotapera neste ano.

Pelo que a Prefeitura, a ACIT e os empresários estão falando seria interessante que se fizesse uma ata contendo a questão e a mostrassem à comunidade para se evitar desgastes desnecessários futuros.

Soube que, para não deixar seus associados sem uma boa oportunidade de faturar, visto o momento atual, a ACIT está pensando em realizar uma “feirinha” na garagem do Centro de Eventos para estes dias. Mas, algo pequeno, longe de uma grande feira. Afinal, está vindo aí um final de ano.

A título de informação. Alto Alegre, Ibirubá, Mormaço, Não-Me-Toque, Quinze de Novembro, Selbach, Victor Graeff, entre outros, realizarão suas exposições. O momento destes municípios certamente é bem outro.

Dia da Doação


Nesta terça-feira (08), a Associação dos Doadores de Sangue de Tapera completou 15 anos. A mesma foi criada pelo vereador Joel Alves dos Santos, o “Colares”, em 2002. Na oportunidade, através de proposição sua, ficou definido que o dia 08 de agosto seria o Dia Municipal de Incentivo à Doação de Sangue.

Segundo Colares, na tribuna, até agora mais de 500 pessoas doaram sangue através da mobilização do seu grupo e que estes ajudaram a mais de 1.500 pessoas em vários municípios do Estado.

Doar sangue deveria ser um ato consciente por parte de toda pessoa saudável, afinal a gente nunca sabe o dia de amanhã. De repente, vamos precisar de sangue para a gente, para nossos familiares ou amigos.

Se você é saudável e consciente, doe sangue.

E parabéns ao Colares pela boa ideia.