Blog do Sarico

O Inter que se vire…


Inter 1Adivinha qual foi o tema principal do Globo Esporte desta sexta-feira? Infelizmente, o Inter, com Vitório Píffero, Fernando Carvalho e Alex. Quase morri de vergonha.

O apresentador do GE mostrou partes da desastrosa entrevista de Fernando Carvalho que resolveu, no pior momento, falar sobre tragédia e fazer uma comparação com a situação atual do clube.

O presidente Píffero disse que o Inter tentará arrancar pontos do Vitória que teria, segundo o Inter, inscrito mal um jogador estrangeiro. Já tentaram isso e não levaram. E não levarão de novo.

E depois o Alex, que não joga mais nada, em nome dos jogadores, disse que o time não tem condições para jogar, se referindo ao desastre da Chapecoense. Ora, e quando foi que o time teve condições de jogar neste campeonato?

Quer saber de uma coisa. O Inter merece cair, sim. Não tem time e não joga bolitas. Com o plantel que tem e o que está jogando merece a Segundona. É duro, mas é isso mesmo.

E o que o Vitório Píffero, o Fernando Carvalho e o atual grupo de jogadores conseguiram fazer com a instituição Sport Club Internacional? Tudo que foi construído de 2006 a 2010 foi jogado em uma gaveta em um ano. Obrigado, pessoal pelo belo presente de final de ano que vocês deram à imensa nação vermelha gaúcha.

O que 2017 reserva a nós colorados?

Em tempo. Um gremista me gozou sobre uma possível virada de mesa no Brasileirão, o que não acredito que aconteça. Sou contra “carteiraços”. Mas, já aconteceu. Em 1992, era para subir 4 times para a Série A e subiram 12. O Grêmio em 9º foi catapultado para o alto. E tem ainda a questão do Fluminense, que foi salvo pela CBF três vezes. Só três vezes.

Bombachudos x Engravatados


bombachudos-x-engravatados-1No último domingo (27), na Vila Raspa, foi realizada mais uma edição deste jogão de futebol beneficente ao Hospital Roque Gonzalez de Tapera e que novamente reuniu bom público. O evento, o 14º em 20 anos, já é consagrado no município e região e integra o calendário de eventos do município, como uma de suas grandes festas.

Achei que o almoço poderia ter mais gente. A ideia do buffet foi muito boa, mas muita gente deixou de comparecer por que não podia levar a comida para casa. Não vou entrar no mérito da questão, mas um amigo me contou que, se fosse lá com a família, gastaria R$ 150 e se levasse a comida para casa, gastaria metade disso. O evento é beneficente e precisa de mais participantes a cada ano. Agora, cada um cuida do seu bolso e sabe o seu tamanho.

A cada ano os organizadores estão melhorando o evento e quem sabe repensem a questão de se levar a comida para casa. De repente os números da promoção aumentem.

O Lions Clube Tapera mais uma vez se fez presente e deu aquela baita mão de sempre.

No final das contas, o Bombachudos e Engravatados foi uma goleada em favor da própria comunidade taperense. Todos ganhamos. Tapera precisa se envolver mais com seu hospital.

Choro


chroro-1Ari Peixoto, um dos melhores e mais experientes repórteres da Rede Globo, em frente ao IML de Medelín, na Colômbia, ao ler o nome do colega Guilherme Marques, morto no desastre da Chapecoense, começou a chorar copiosamente, ao vivo.

Alguns anos atrás, em pleno Fantástico, o repórter Francisco José chorou durante uma reportagem sobre a seca e a fome no Nordeste. Um menino, em plena semana do Natal, brincava com um “rebanho” formado por ossos de animal, feliz da vida. Quando disse ao repórter que não sabia quem era Papai Noel, o repórter não se aguentou e desandou a chorar.

O ato de chorar é absolutamente normal, afinal ninguém é de ferro e nem deve parecer sê-lo. Nem mesmo na televisão. Tem coisas que a gente não segura. Já passei por isso e sei bem como é.

2016 se indo


area-de-transferencia01E lá está se indo mais um ano. Que loucura isso ai. O mundo está acelerando rápido demais. Lembra de quando éramos criança e como demorava para o Papai Noel chegar? E agora ele está quase ai, de novo. E os anos “comendo” a gente. Dizem que hoje em dia temos mais opções em nossas vidas, por isso a velocidade. Não sei. Sei que a coisa corre cada vez mais rápida. Olha para as fotos na sua casa e para os seus filhos. Que coisa!

Motoras


motoras-1Já falei aqui inúmeras vezes que está difícil dirigir em Tapera. Nossos motoristas, sejam homens ou mulheres, não são fáceis quando ao volante. No domingo, 27/11, indo para a Vila Raspa, no Bombachudos x Engravatados, estava eu subindo a Rui Barbosa, quando na minha frente um táxi freou bruscamente, na esquina do Morada do Sol. Como vinha longe, parei sem problema, mas estranhei a ação do taxista. Nisso passou um Fiesta azul, conduzido por uma mulher, que desceu a Rua Antônio Libório Bervian, sem parar na preferencial e sem a mínima cerimônia. Ao taxista só coube olhar a beldade, que por sua vez não olhou para o lado, como deveria.

E na tarde da segunda-feira, 28/11, descendo a Pedro Binni, um Gol escuro, dirigido por um homem, sem mais nem menos, resolveu entrar à esquerda, na minha frente. Tive de frear para não bater nele. E eu estava na “minha”.

É… Dirigir em Tapera está sendo um teste para cardíaco. Daqui a pouco os cardiologistas, ao invés de fazer teste de esteira em seus clientes, começarão a pedir-lhes para dirigir em Tapera.

E todo mundo com pressa, né?

Falando em trânsito. O que leva as pessoas a andar de carro no amanhecer com o volume do som lá nas alturas, em pleno dia útil? Pelo visto o namoro da noite anterior deve ter rendido um bocado. Uma vez se namorava nas quartas e nos finais de semana. Agora, ao que parece, a coisa é meio direta.

Modernidade


voto-consciente-1Lembra quando as pessoas tinham diário e ficavam furiosas quando alguém lia ele? Hoje, elas colocam tudo nas redes sociais e ficam furiosas se alguém não lê.

Orçamento 2017


orcamento-2017-1Encontra-se na Câmara de Vereadores de Tapera o orçamento para 2017. O mesmo saltará de R$ 34,5 milhões para R$ 36,5 milhões, um crescimento de 5,8%.

O valor é apertado pelos gastos que o município tem com a folha, as secretarias e os investimentos. Não será fácil tocá-lo com esse número apertado, mas o novo prefeito terá de se adequar a ele e governar com o que terá no primeiro ano.

E se pensar em aumentar impostos, com valor alto, terá duas batalhas pela frente. O primeiro será na Câmara de Vereadores, apesar de ter a maioria na Casa; e depois com o contribuinte que está achatado e sangrando de tanto pagar impostos e de não receber o que é seu por direito ou o que merece.

Os novos prefeitos, que assumirão a 01 de janeiro, receberão de seus antecessores uma herança daquelas. Não bastasse a queda na arrecadação, os repasses federal e estadual, que continuarão a não vir, apertará ainda mais seu cinto. Bicho feio vindo ai. Mas, ai vale a competência e a criatividade de cada governante, amparado por gente séria e competente nas secretarias. O quadro que se vislumbra logo ali adiante não é de contemplação. E não esperem grandes obras, por que elas não acontecerão.

Sem explicação


Ascamaja 1Jamais vou entender o Direito, com as ações que os seus operadores realizam e com o que falam sempre no intuito de defender seu cliente. Mas, tem coisas que não dá para entender, mesmo, apesar de ser legal. Na sexta-feira, no Jornal do Almoço, na matéria do cara aquele que atropelou um grupo de ciclistas e que foi julgado e pegou 12 anos de cadeia, seu advogado deu maior ênfase ao fato dos ciclistas estarem sem equipamentos de proteção do que o ato em si, criminoso. Pelo que ele disse, a falta dos equipamento é mais grave do que o ato de tentar matar pessoas. Quando ouvi aquilo fiquei sem ação e pensei no que pensaram na hora, em pleno júri, o juiz (ou juíza), o MP, os jurados e o público presente.

Às vezes, como esse pessoal lida com o Direito, dá impressão de que nos acham todos uns idiotas. Tem umas coisas que não tem explicação, por mais que se esforcem para isso.

Pensamento do Dia


Emoticons Sonrientes 48“Black Friday sem dinheiro é tipo pular Carnaval com a esposa. Só olhando as oportunidades perdidas…”

Desconheço a autoria

Vendas em baixa


choro-1Conversando com alguns empresários taperenses todos estão berrando bem alto com a queda nas vendas mesmo às vésperas de uma data tão especial como é o Natal, que se aproxima. Inclusive, o assunto foi tema da última reunião da ACIT, realizada recentemente, no Clube Aliança. Na reunião, falaram ainda da feira paulista que veio para cá e levou muito dinheiro daqui. E, fatalmente, ela retornará a Tapera, para desespero dos lojistas. Dificultar sua vinda pode. Vetar é meio complicado.

A vinda de alguém de fora aqui para vender comprova que alguma coisa está errada aqui. O dinheiro está ai, mas ele não está circulando. E por que esse dinheiro não circula? Essa pergunta a ACIT e os empresários deveriam fazer para si e juntos encontrar uma saída para o problema. Afinal, temos produtos para venda e tem quem queira consumi-los, só que essa “ligação” não está acontecendo.

Fala-se com os empresários e eles se queixam que o taperense compra fora e o taperense responde dizendo que o faz por bons produtos, bom atendimento e bom preço. E tem a internet ainda para deixar os lojistas ainda mais preocupados. Algo precisa ser feito. E para ontem.

A saída será o pessoal adotar uma estratégia para forçar o consumo e a fidelização do taperense. Afinal, com crise ou sem crise, todos querem vender e todos querem comprar. É como namoro: precisa haver a tal da “química”.