Blog do Sarico

Culpada


Lixo em Tapera 1O presidente do Inter, Vitório Píffero, resolveu achar um culpado para a péssima campanha do time no ano: a imprensa. Pode? A equipe vem em queda vertiginosa nos últimos meses e se aproxima do chão e o homem acha que é a imprensa quem está tocando embora o torcedor Colorado. Teoria da conspiração.

Mas, é incompetente essa imprensa que novamente planejou mal o ano quando o Inter ficou de fora da Libertadores porque deu folga e poupou os jogadores. É mesmo uma coisa essa imprensa porca.

Píffero é a atual administração do Inter.

Hoje, o Inter joga contra o Vasco, último colocado no Brasileiro. Não sei por que, mas lembrei de Jesus Cristo.

Constrangimento


constrangimentoNesta manhã, no Hora Um, da Globo, foi mostrada reportagem da situação em que se encontra o Estado do Rio Grande do Sul por conta da crise e do parcelamento do salários do funcionalismo estadual. E mostraram o governador Sartori chorando. Confesso que a reportagem me constrangeu, como deve ter constrangido todos os gaúchos. Quem diria… Um Estado rico e grande como o nosso estar numa situação dessas. E a culpa é de quem? Dos políticos. Eu acho que eles falharam ao longos destes 40 anos e serão eles que terão de encontrar uma saída e colocar o RS de novo nos trilhos. Mas, não vai ser fácil. E nem rápido.

Agora, se acontece isso num Estado como o nosso, como será que estão os demais estados brasileiros, tirando os grandes e ricos?


1441037194.53-fotoNão tenho pena de político por conta do que estamos vendo na imprensa quase que diariamente, se bem que tem gente boa no meio, sim. Mas, vendo o governador José Ivo Sartori nesta manhã chorando ao se dirigir aos servidores estaduais e seus familiares para lhes comunicar que vai parcelar o salário de agosto em três vezes, me emocionei. Me deu pena do gringo.

Por outro lado, Sartori e seu PMDB se ofereceram para governar o Rio Grande do Sul sabendo o que pegariam pela frente. O novo governo não montou um projeto na campanha e trabalhou nela em cima de uma única frase: “O meu partido é o Rio Grande” e só. E depois? E por que esse mesmo governo não vem a público para dizer o que pretende fazer. Será que ele ficará nesta choradeira e ranger de dentes até o final do mandato?

Também não dá para esquecer a piada (desnecessária e infeliz) do piso na Tumelero sobre o salário dos professores na campanha. A classe não esquece aquilo.

Enfim. O que o governo Sartori pretende fazer para tirar o RS do atoleiro? Com quase 250 dias de governo está na hora de começar a trabalhar.

Ô, Rio Grande do Sul. Quem te viu e quem te vê.

Golpe


75866_1Não ao golpe ou ao impeachment. O Brasil não precisa disso, nesse momento. O governo federal deve terminar o que começou e deixar encaminhado tudo para quem vier depois. É assim que deve ser nas grandes (e sérias) nações. Tirar o governo no braço ou na bala não é a maneira correta e inteligente. A cada quatro anos existe uma data, em outubro, para isso.

Hoje, vendo o Brasil com seus avanços e recuos e com a falta de visão e de ousadia de seus governantes, acho que eles poderiam fazer muito mais se houve real interesse e capacidade. Governar para uns e tirar proveito disso não é o correto. O correto é governar para todos, desenvolvendo tudo ao mesmo tempo, nem que seja aos poucos, mas progressivamente.

As manifestações realizadas dias atrás, se tiveram pouco ou mais pessoas que as outras realizadas, não importa. Importa, sim, é que na grande manifestação de março os brasileiros deram o seu recado e deixaram bem claro o que pensam e o que querem para seu País. Com a palavra a senhora, dona Dilma. É a sua vez.

PMDB


AK cartasO PMDB taperense está reunido neste momento para eleger a sua nova executiva municipal. Bem que o partido poderia aproveitar para começar a rascunhar a eleição do ano que vem. A mesa está sendo preparada e em seguida as cartas serão dadas. E adivinha quem é o carteador nesta “rodada”? O próprio PMDB. Está tudo em suas mãos.

Depois falarei mais sobre eleição municipal.

Roubos


1321814414570Os roubos, ao que parece, cessaram aqui em Tapera ou deram uma acalmada. Será que a nossa polícia atingiu em cheio o coração das quadrilhas que agiam aqui? Mas, por garantia, darei três toques na madeira. Toc! Toc! Toc!

Batendo


ParisLike__Mandrake_the_Magician_01Na situação em que o Estado se encontra, sem nenhum no caixa, adianta a imprensa gaúcha bater diariamente no governo? É mais ou menos como querer andar a 300 km/h com um Gol 1000. Não dá! Tem que cobrar, sim, afinal, foram eleitos para governar, mas sem a presença do Mandrake no palco, né?

Para entender


Desconfiado 51682536-600x600Como é que pode a conta do Rio Grande do Sul com a União saltar, em poucos anos, de R$ 8 bi para R$ 42 bi? Como pode isso? O que está errado nesta matemática? O Estado já pagou essa conta a muito tempo. Tem coisa errada ai. O governo gaúcho nunca pensou em questionar tal dívida?

Outra coisa. Por que o governo federal não age com o mesmo rigor com quem rouba o País? Por que dois pesos e duas medidas?

Doação


Doação 1Um amigo me contou que Tapera enviou neste ano R$ 48 mil para o Criança Esperança da Rede Globo. É uma soma considerável. Nada contra a vontade dos conterrâneos de enviar tal ajuda para fora do município. Mas, e se esse dinheiro fosse canalizado, por exemplo, para o Hospital Roque Gonzalez, que anda mal das pernas, como a maioria dos hospitais brasileiros?

Além do HRG temos outras entidades locais fazendo belo trabalho social aqui e que precisam de ajuda.

Você pode não precisar de uma de nossas entidades hoje, mas certamente precisará delas um dia, assim como um familiar seu. É bom pensar nisso.

Na reunião da ACIT, ontem (25), na Cantina Italiana, o prefeito Ireneu Orth revelou que o Hospital Roque Gonzalez não fechou suas portas ainda por teimosia. A situação está insustentável lá e a população precisa entrar em cena. O poder público ajuda, mas não está sendo suficiente.

Alô, Tapera. Fica esperta.