Blog do Sarico

Quase maioria


Quase maioria 1Em Alto Alegre, na eleição de outubro, as mulheres deram um show nas urnas ao eleger QUATRO vereadoras: Mariza Capoani (PMDB – 130 votos), Rosanei Tomazi (PTB – 111), Marinês Batistti (PDT – 90) e Elzi Pagnussatt (PTB – 58 votos).

Na região, as mulheres têm sua maior representatividade em Alto Alegre. Depois vem Ibirubá e Selbach com 03 vereadoras cada e na sequencia Colorado, Espumoso, Lagoa dos Três Cantos, Não-Me-Toque e Victor Graeff com 01 vereadora. Tapera não tem nenhuma, novamente.

As mulheres são maioria no Brasil, mas elas não devem saber disso, pois o dia que souberem e se organizarem, elegerão vereadora, prefeita, deputadas, senadoras e presidente da República. É só elas se entender.

Em tempo. Recentemente, o mulherio do CTG Rancho dos Tropeiros de Ibirubá se reuniu e decidiu assumir a entidade, em todos os cargos. É mais um setor que cai aos pés delas.

Capela Mortuária na Brasília


Capela mortuária na Brasília 1A Associação dos Moradores do Bairro Brasília (ABB) de Tapera, que engloba ainda os bairros Haumpenthal, Seibel e Promorar, iniciou a construção da sua Capela Mortuária no último dia 21. A obra está sendo realizada em terreno doado pela Prefeitura, no Loteamento Haumpenthal, ao lado do Ginásio de Esportes Romeu Cláudio Kloeckner.

A mão de obra é voluntária e a intensão é realizá-la na forma de mutirão. A fase inicial contou com a colaboração das empresas Signor Concretos, Fepol, Pré-moldados Knudsen e CBS Materiais de Construção, da Prefeitura e de empresários locais.

Conforme o presidente da AMBB, Duio Siqueira, em um segundo momento, a Associação irá em busca da comunidade para ajudar na campanha de doação de tijolos, ela que não se furtará de ajudar a si próprio.

A obra terá 128,25 m² e não tem prazo para sua conclusão, que dependerá da participação dos moradores.

Pedágios


pedagio1Esses pedágios que estão querendo instalar na BR 386, entre o Tio Hugo e Lajeado, darão o que falar. Carros aqui da região que forem a Porto Alegre gastarão uns R$ 100 e caminhões em torno de R$ 400. E estes acarretarão em aumento em muitos produtos. Se a população gaúcha se mobilizar esse pesadelo não acontece.

Para adiantar. Sou favorável a pedágios, pois eles mantem as estradas com boa trafegabilidade e sinalizadas. Mas, o preço precisa ser justo. E as empresas precisam investir nas mesmas. E, lembrando sempre que a privatização atinge os serviços, nunca o patrimônio. É importante dizer isso para que o pessoal saiba como é a coisa.

Leite: o errado era o velho


O leite de ontem e de hoje 1Antigamente, o leite em nossa casa chegava trazido por um senhor que vinha para a cidade em uma carroça puxada por uma junta de bois, trazendo muitas garrafas do precioso líquido para serem entregues em várias casas da pequena Tapera, com poucas moradas. Lembro bem da cena. E, ainda escuro, nossa mãe preparava minha mamadeira, no capricho, em uma garrafa de guaraná Charrua, coisa chique naquela época – o guaraná, mas que supria perfeitamente a falta de uma mamadeira de verdade, de vidro, que eram caras. Plásticas como as de hoje, não havia.

Sei que o trabalho daquele senhor, que certamente não colocava água nem qualquer outra porcaria no leite das crianças e não faziam mal, devia ser bom por que hoje estamos todos aí com saúde, apesar da barriga “pouco” saliente. Mas, seu serviço parou por que as autoridades começaram a achar que o leite vendido daquela maneira fazia mal. Imagine…

Bom e certo é o que esses bandidos estão fazendo hoje em dia, misturando tudo quanto é porcaria, e até veneno, no leite para ganhar em cima da ingênua população. Os caras aprontam, ganham rios de dinheiro e ainda zombam de todos nós, trouxas que consumimos o produto. E depois que são identificados e processados, são presos sabendo que logo estarão fora para usufruir do dinheiro ganho de forma desonesta e ainda zombando desta feita das autoridades. E o velho aquele é que era o errado…

Nosso País avança, mas para cada passo dado a frente dá três para trás.

Santo Lula


Santo Lula 1“Nem o Moro, nem o Dallagnol, nem o delegado da Polícia Federal têm a lisura, a ética e a honestidade que eu tenho nestes 70 anos de vida”. A frase foi dita nesta semana, por Lula, em um seminário do PT, contra a Operação Lava Jato. O ex-presidente a disse ao falar do procurador da República, Deltan Dellagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato. Ele o desqualificou por ter afirmado que o PT é uma organização criminosa. E Lula foi além: “O que aquele moleque conhece de política?”.

Não vou entrar no mérito da questão para não me atritar com meus amigos petistas, apenas lembrar que nunca antes na história deste País o Estado investigou, puniu e enjaulou tantos personagens da elite política e empresarial. No momento, estão em cana, entre outros: o príncipe dos empreiteiros Marcelo Odebrecht, dois super ex-ministros do porte de José Dirceu e Antônio Palocci, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, o ex-vice-presidente da Câmara André Vargas e o gestor de arcas partidárias João Vaccari.

Há também três ex-presidentes e um presidente-tampão encrencados. Lula é réu em cinco ações penais. José Sarney será interrogado por ordem do STF sob a acusação de tentar embaraçar investigações. Dilma Rousseff sofreu o impeachment e está prestes a virar matéria-prima para as sentenças do juiz Sérgio Moro. E Michel Temer convive com o risco de cassação no TSE. Como se fosse pouco, estão na alça de mira dos investigadores os pajés do PMDB do Senado e os presidenciáveis do ninho tucano. Só isso… E muito mais gente irá para a cadeia por roubo. É questão de tempo.

A Justiça brasileira caminha de forma lenta, mas está caminhando para frente e já não era sem tempo. Chega de impunidade neste País. O sofrido povo brasileiro não aguenta mais tanta sacanagem contra si. O Brasil para os brasileiros bons, de uma vez por todas.

Ainda o lixo


Explicação 1Na manhã deste sábado, passando pela Rua Rui Barbosa, aqui em Tapera, vi um empresário jogando um saco de lixo na calçada. E sábado não tem recolhimento na cidade. Não sei o que havia dentro dele, mas se era lixo molhado – comida – os cachorros devem ter feito festa nos quase três dias que o saco ficará sobre a calçada.

Só para avisar. Sábados e domingos não tem recolhimento de lixo em Tapera.

Outra coisa. Nos prédios, bem que seus moradores poderiam segurar seu lixo até a segunda-feira. Poderiam deixá-lo em um canto da área de serviço onde não atrapalharia e se estiver cheirando que seja ensacado uma ou duas vezes, se necessário. Está na hora de a gente colaborar com nós mesmo e com a nossa cidade.

Como é feio ver sacos de lixo amontoados na frente de prédios e lojas nos finais de semana. Sacos espalhados pela cidade dá impressão de abandono e isso nós não queremos para a nossa bela, charmosa e adorada Tapera.

Mais segurança


positivoNesta semana, passando pelo Centro de Tapera, chamou minha atenção que os servidores da Secretaria de Infraestrutura, que estavam trabalhando na Avenida, utilizavam cones de sinalização anunciando sua presença. Maravilha isso. Os cones darão uma segurança maior ao pessoal, mas terão maior valia no acesso à ERS 223, quando os motoristas imprimem maior velocidade em seus veículos. E tem ainda a questão do celular. É proibido dirigir e falar ao telefone ao mesmo tempo, mas, infelizmente, ninguém respeita essa regra e agora, ao ver um cone, o pessoal ficará atento à uma possível movimentação naquela parte da cidade.

O equipamento é uma inovação na Prefeitura de Tapera. Parabéns à administração pela visão.

Baile da Miss


29635Neste sábado, 25/03, no Clube Aliança, a APAE Tapera realizará o Baile da Miss. Conforme o presidente Ademar Orlando de Castro, o “Galo”, o evento é para homenagear a Miss RS 2016, a taperense Letícia Borghetti Kuhn e, ao mesmo tempo, arrecadar recursos para a manutenção da Escola Girassol e que necessita de reformas em seu prédio.

Já ouvi na rua e aqui mesmo, que o evento é de elite. Pode até ser, mas a ideia é arrecadar dinheiro para a APAE. E em momento algum se falou em traje de gala. No JEAcontece o texto fala em SOCIAL, que até onde sei é o uso do casaco, com a gravata sendo opcional.

Não adianta. Quando se pretende fazer algo de bom sempre haverá quem reme contra. Isso é próprio do ser humano e isso acontece aqui, como acontece em qualquer lugar do mundo. Fazer o quê?

A propósito do baile. Por ser beneficente, na primeira semana de lançamento todos os cartões foram vendidos, o que dará um bom dinheiro à APAE. E ele será ainda um momento de Tapera homenagear a sua filha mais ilustre que conquistou algo inédito para o município e região e que tão cedo não acontecerá novamente. E você, taperense, faz ideia do que a Letícia conquistou no ano passado?

Parabéns à direção da APAE pela ideia, aos taperenses que abraçaram a ideia de cara e à Letícia pela sempre simpatia e disponibilidade.

Lugar de lixo…


Lugar de lixo... 1Na sexta-feira, 17/03, próximo das 16h, passei pela Praça Central de Tapera e vi um grupo de jovens, meninos e meninas, das séries iniciais de uma escola aqui da cidade, conversando e tomando água mineral e refrigerante num dos seus bancos. E todos em um alegre bate papo, usufruindo da maravilhosa juventude. E me fui para o Centro de Eventos para ver a exposição sobre as mulheres no mercado de trabalho no mundo. Uns 40 minutos depois passei pelo mesmo lugar e não vi mais os jovens na Praça, mas vi as garrafas e copos deixados por eles sobre o banco e também no chão. E tudo isso a menos de um metro de uma lata de lixo como mostra a foto.

Pessoal, vamos combinar uma coisa. Parece que nossas crianças estão saindo de casa e da escola sem saber que lugar de lixo é na lixeira e que isso é um gesto de cidadania, de educação e de amor à sua cidade e aos seus conterrâneos, sem falar no respeito.

Quem sabe a próxima geração dê mais importância ao meio ambiente.

Lambança federal


Lambança 1Essa ação da Polícia Federal na Operação Carne Fraca colocou o Brasil em uma saia justíssima desnecessária e muito danosa para si. A PF, que presta grande e maravilhoso serviço ao País, desta vez exagerou pela forma como liberou a informação da mesma. E algumas empresas bandidas se passaram e mancharam o bom nome de um universo de mais de 3 mil empresas que lidam com carne e a exportam. Não dá para generalizar. Sem falar nos bandidos do Ministério da Agricultura que foram subornados. Felizmente, o Rio Grande do Sul ficou de fora desse balaio.

O Brasil poderia ter passado longe desse mico. Ora, colocar papelão na carne…

E uma outra coisa. Cuidado com a comunicação, pois na maioria das vezes ela não sai como o planejado e o resultado é o pior possível. E consertar depois…