Blog do Sarico

A vacinação em Tapera


Leitores deste espaço estão questionando a Secretaria de Saúde de Tapera (RS) por não estar divulgando o cronograma de vacinação contra a Covid e a gripe no município. Questiona ainda o porquê de não utilizar a imprensa local para isso.

Ainda, que a vacinação da Covid não está andando na mesma velocidade dos demais municípios da região que a cada semana diminuem as faixas etárias.

Vamos utilizar a imprensa local para tal divulgação, pois é de interesse público.

Aliás, assessoria de imprensa da municipalidade não existe e se existe o faz apenas pelo site da Prefeitura e em suas mídias sociais como se isso fosse atingir todos os munícipes.

A bem da verdade, se fossem realizar uma pesquisa sobre o acompanhamento popular de cada veículo de comunicação taperense teriam uma surpresa e tanto.

Vamos todos trabalhar juntos em prol de nosso município e pelo bem da nossa população. Sejamos profissionais.

Cloroquina


Esse remédio é de fato eficaz contra a Covid (antes, durante ou depois) ou não? O pessoal da saúde – médicos e cientistas, e os políticos (por aconselhamento), se dividem sobre a questão. Afinal, quem está certo e quem está errado?

O ministro Marcelo Queiroga (Saúde), no último dia 08, na CPI do Senado, disse que a Cloroquina não deve ser utilizada contra a doença jogando um balde d’água fria na cabeça de muita gente, inclusive em certas notícias tidas como seguras por pessoas com amplo conhecimento de causa.

Já no último dia 11, na mesma CPI, a microbiologista Natália Pasternak disse que a Cloroquina não funciona em animais nem em humanos.

E aí, como fica? A ciência já se pronunciou a respeito. Enquanto isso, nós, o povo, continuamos caminhando. Alguns com medo e outros nem aí, tendo gente morrendo aos montes a sua volta.

Será que é tão difícil todos caminhar na mesma direção?

Desinteresse Futebol Clube


A Seleção Brasileira jogou no domingo (13) pela Copa América e eu não sabia do jogo e, por consequência, não o assisti. Na verdade, faz muito tempo que a Seleção não chama minha atenção. E, mesmo sabendo dos jogos, não os assisto. Prefiro fazer outras coisas que acho mais importante. E há muito o futebol deixou de ser uma prioridade para mim. Deve ser pelo que ele se transformou e os valores que correm fora dos gramados.

A bem da verdade, antigamente, quando tinha jogo do Brasil o País parava, literalmente. Hoje, isso não acontece mais. É o reflexo do momento por que passa a nação e o mundo e, como escrevi há pouco, o futebol perdeu a magia, talvez por conta da idade e do que a gente vai vendo no decorrer da vida. O futebol virou uma ilha da fantasia para uns poucos.

Atualmente, aqui no Brasil, poucos sabem a escalação do time do gaúcho Tite, mas, com toda a certeza, todos sabem o nome dos 11 ministros do STF. Ou estou errado? O “time” do Supremo está mais na mídia do que o escrete Canarinho.

São os novos tempos. E vá se acostumando com isso, pois daqui para frente muita coisa mudará.

O namoro e o tempo


12 de junho, Dia dos Namorados.

O namoro dos nossos pais foi pelo Correio. O da minha geração foi um misto de Correio com telefone convencional. E o dos nossos filhos está sendo pela internet, pelo celular.

Era comum que as cartas – que demoravam a chegar ao seu destino – fossem enviadas cheias de perfume e de desenhos (flores e corações), para impressionar quem a recebia. Depois, com o telefone, houve maior facilidade (e aproximação, de certa forma) na comunicação entre os pombinhos, que ficavam conversando por longas horas – e não era raro ouvir a mãe de quem fazia a ligação gritando um “olha a conta do telefone!”, tendo em vista que as chamadas não eram nada baratas, tempos atrás.

Já hoje, a gurizada não namora. Pelo menos, é raro ver casais na rua, de mãos dadas ou demonstrando afeto – o que é julgado, por eles, como algo cafona, tipo “pagar mico”.

Num dia desses, antes da pandemia, lanchando em um shopping, aqui na região, percebi que, na minha frente, havia um casal de adolescentes. Deu para perceber que eram namorados, mas durante aquele tempo, coisa de uns 40 minutos, não vi eles trocarem uma palavra entre si, pois estavam mais interessados em seus respectivos celulares. Com quem conversavam, eu não sei – sei, apenas, que não era entre eles. Loucura isso.

Enfim, diante de todas essas circunstâncias – da falta de interação, de comunicação e de afeto – é possível questionar como serão os relacionamentos e as famílias, em um futuro não tão distante…

Registrado surto de Covid-19 no Lar do Idoso de Tapera


Em nota divulgada ontem nas redes sociais, a Secretaria Municipal de Saúde de Tapera (RS) confirmou que o Lar de Idoso José e Rosalina Koehler está com surto de Covid-19.

Segundo o comunicado, todas as medidas preventivas foram adotadas e que residentes e colaboradores foram orientados e testados.

Hoje, a Secretaria divulgará nota informando mais a respeito e também o número de infectados e se tem alguém no hospital.

E aí o pessoal pergunta: e a vacina não ajuda? Ela ajuda, sim, mas as pessoas devem continuar se cuidando: com álcool gel, máscara e distanciamento.

E só para lembrar o número de óbitos nestes quase 15 meses de pandemia: Tapera 40, Espumoso 45, Não-Me-Toque 46 e Ibirubá 71.

Viu, essa porcaria que insiste em continuar aí mata. Só para lembrar.

Ainda o castramóvel


Espumoso, ali do outro lado do rio Jacuí, colocou seu Castramóvel em operação neste ano. Segundo o servidor responsável, já foram realizadas mais de 600 operações de castração no município, tornando-o referência na região.

Já o Castramóvel de Tapera está fechado no pátio da Secretaria de Infraestrutura aguardando sabe-se lá o que. O “presente” chegou em Tapera pelas mãos do deputado federal Giovani Cherini e foi utilizado uma única vez para vacinação de pessoas. Após, retornou à Secretaria.

Enfim, o que farão com aquele equipamento?

Fiasconacional


Mas, o que está havendo com o Inter? Cadê aquele time que QUASE ficou campeão brasileiro no ano passado e que no começo deste ano empilhava goelada atrás de goleada em seus adversários? Cadê aquele time?

Nosso treinador deve ser dispensado pois não tem a nossa cara. Esse projeto que ele implementou no clube, com apoio da direção, não dará certo nunca.

Caímos fora da Copa do Brasil ontem, num jogo vergonhoso, e não vamos muito longe na Libertadores, e no Brasileirão o fantasma do rebaixamento já começa a fazer gracinha para nós.

O Inter precisa mudar TUDO para ontem e montar um time de verdade, longe desse circo de pulgas que ele virou.

Outra coisa. O presidente que largue o futebol, que não é sua praia, e volte para a militância política com o partido aquele.

Chega de amadorismo no Inter. Está na hora do clube saltar do dente de leite para o profissional.

MUDANÇA JÁ!

Eleição na ACIT


A Associação Comercial e Industrial de Tapera (ACIT) vai eleger sua nova diretoria no próximo dia 16, às 19h, no Instituto Profissionalizante Cônego Bento, no antigo Seminário.

A presidente Zaira Anghinoni, que está à frente da entidade há seis anos, acha que já deu sua parcela de contribuição à Associação e que irá se retirar. Continuará colaborando com o grupo.

Soube que o nome que me foi dito para ocupar a presidência aceitou a incumbência. Escalado para o jogo ele está. Vamos ver se fardará.

Vai jogar, sim, pois seu nome soma e aglutina a equipe diretiva.

A ACIT continuará em boas mãos.

Atrapalho


A política está presente em nossas vidas todos os dias. Em tudo. E é ela quem decide as coisas. Qualquer decisão que se toma é política, seja em casa, na escola, no clube, no trabalho, nos grupos que participamos.

Agora, atualmente, no Brasil, você não tem a impressão de que ela mais atrapalha do que ajuda?

A bem da verdade, o problema não é a política, mas, sim, as pessoas que a fazem. As que decidem por nós, no caso.

Corte Internacional Anticorrupção


O ex-juiz Sérgio Moro, estrela da Operação Lava Jato, disse ser favorável à criação de uma Corte Internacional Anticorrupção. Para ele, esse órgão teria escala global e jurisdição subsidiária para investigar, processar e julgar crimes de grande corrupção que não encontrassem respostas nas cortes nacionais.

Os mesmos motivos que levaram à criação do Tribunal Penal Internacional, em Haia (Holanda), estariam aqui presentes: a dificuldade ou mesmo a incapacidade dos órgãos de controle nacionais (polícia, MP e Judiciário) de investigarem e punirem crimes de grande corrupção – já que estes são praticados por pessoas poderosas e que, não raramente, capturam as estruturas do Estado, inclusive os órgãos de controle, inviabilizando a sua ação.

Eu acho a ideia boa, pois um pessoal de fora, sem atacar a soberania nacional, faria uma revisão nas investigações e nas provas já feitas e apontaria uma decisão. Com isso, não haveria questionamentos, nem suborno que possa alterar uma investigação ou mesmo uma prova.

Mas, é importante que se diga que isso valeria apenas para crimes de corrupção contra o Estado.

No Brasil, assim como em outras nações duvidosas, os poderosos podem tudo, sem medo nenhum. De ninguém. Mas, de ninguém, mesmo.

E há prova maior disso do que este reverso que a Lava Jato sofreu?